Comentários

(22)
Elisangela Pinto, Advogado
Elisangela Pinto
Comentário · há 2 anos
O Estado pode até intervir na vida familiar para dirimir graves conflitos, como delegacias especializadas, medidas protetivas, prisão, indenizações, dentre outras formas. No entanto, não posso deixar de afirmar aqui os deveres conjugais, que, quando praticados, não tem como dá errado, é remédio para alma. Encontra-se em Efésios 5: 22-33:

Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor;
Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo.
De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos.
Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela,
Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra,
Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.
Assim devem os maridos amar as suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo.
Porque nunca ninguém odiou a sua própria carne; antes a alimenta e sustenta, como também o Senhor à igreja;
Porque somos membros do seu corpo, da sua carne, e dos seus ossos.
Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois numa carne.
Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de Cristo e da igreja.
Assim também vós, cada um em particular, ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie o marido.
Efésios 5:22-33

Oriente sua vizinha na Palavra de Deus e contemple o agir de Deus!
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

Outros advogados em Porto Velho (RO)

Carregando

ANÚNCIO PATROCINADO

Elisangela Pinto

Entrar em contato