Recomendações

(9)
Paulo Abreu, Advogado
Paulo Abreu
Comentário · há 2 anos
Meios para faze-lo são vários.
O próprio texto já responde, tenho medo.
Tanto as vítimas quanto as testemunhas tem medo e receio da denúncia.
O Estado não as amparam.
Como o texto menciona, o marido dela é policial, vamos ater somente a este fato.
Dentre outros meios de se fazerem denúncias quanto a violência doméstica, através do disk denúncia, delegacia da mulher, entre outros, neste caso ainda há mais uma possibilidade.
As Corregedorias das Polícias Civil e Militar dispõe de números para denúncias de todos os tipos anonimamente, inclusive de policiais agressores.
Se for policial militar, baste deslocar-se há uma batalhão ou companhia próximo da residência do agressor, pedir para falar com o "comandante", que deseja fazer uma denúncia anônima.
Por que mencionei o comandante, para o denunciante não ser persuadido pelos seus pares.
No caso de policial civil, este é um pouco mais complicado faze-lo na delegacia, o efetivo é menor todos se conhecem, poderá também ser persuadido pelos seus pares.
Parece então ser fácil de resolver a situação de sua vizinha, mas na prática não é.
Primeiro a vizinha vítima, ao ser convocada por uma dessas entidades para esclarecimentos, de imediato poderá inocentar o agressor, caindo por terra sua preocupação.
Segundo, aquele velho ditado ainda perdura, em briga de marido e mulher, não se põe colher.

Então o que fazer diante do exposto?
Faça sua parte, DENUNCIE, não deixe sua vizinha, crianças, idosos, serem vítimas dos seus agressores, e estes, ficarem impunes.
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

Outros advogados em Porto Velho (RO)

Carregando

ANÚNCIO PATROCINADO

Elisangela Pinto

Entrar em contato